TRF4 transmite ao vivo julgamentos pela internet; entenda como funciona

Vídeos também podem ser acessados diretamente na consulta processual. Cláudio Brito explica como funciona e as vantagens dessa novidade.Screen Shot 2015-02-10 at 23.38.07 Screen Shot 2015-02-10 at 23.42.51 Screen Shot 2015-02-10 at 23.43.30

Sistema Nucleo Media é o escolhido para fazer toda a gestão e transmissão do TRF4. Julgamentos de Porto Alegre poderão ser acompanhados em tempo real. Programa entra no ar a partir de agosto e quer democratizar justiça

Os julgamentos realizados no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em Porto Alegre poderão ser acompanhados pela internet a partir de agosto deste ano. A iniciativa também permite que vídeos sejam anexados aos processos eletrônicos. O projeto foi lançado na tarde desta quarta-feira (19) na capital do Rio Grande do Sul, conforme reportagem veiculada no RBS Notícias (veja ao lado). O programa teve investimento de R$ 8 milhões.

Pelo menos 30 câmeras já foram colocadas nas salas onde são realizadas as audiências, que passarão todos os detalhes pela internet. Serão preservados apenas os julgamentos em segredo de justiça. O vídeo ficará gravado para quem não conseguir assistir ao vivo. Com o número do processo, a gravação poderá ser vista no computador, no tablet e no telefone celular.

A medida segue um planejamento iniciado há 10 anos na Justiça Federal para acabar com os processos de papel. “É uma vantagem muito grande porque não se gasta papel, não se gasta tinta, não se gasta em transporte de processos e os prédios podem ser menores. O sistema eletrônico reduz em 80% o tempo de andamento de um processo”, explica a presidente do TRF4, Marga Inge Barth Tessler.

Para o advogado Luiz Carlos Levenzon, que também foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RS), a medida aproximará as pessoas do Judiciário. “Os debates são públicos e o Judiciário é um espaço público. A lei diz que a audiência é pública, então o acesso das pessoas em relação aos julgamentos é uma questão de democracia, de transparência”, explica Levenzon.

Com a novidade, pela primeira vez os vídeos podem ser acessados diretamente na consulta processual. Porém, não serão anexados aos processos eletrônicos as imagens dos julgamentos sem debates e aqueles que foram decididos de forma unânime. Já os processos em segredo de justiça não serão transmitidos nem indexados em vídeo no processo.

O sistema chamado Tela TRF4 iniciou em 2012 com transmissões internas e testes para a inclusão dos vídeos para consulta processual. Cerca de 30 câmeras remotas foram instaladas nas quatro salas de sessão, no plenário, no auditório e na Escola da Magistratura para transmitir os julgamentos, seminários e palestras que acontecem no tribunal.

 

 

 

 

FONTE: G1 Rio Grande do Sul

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2013/06/trf4-investe-r-8-milhoes-no-rs-para-transmitir-audiencias-na-internet.html

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/02/trf4-transmite-ao-vivo-julgamentos-pela-internet-entenda-como-funciona.html